Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".
Mostrar mensagens com a etiqueta o que eu leio. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta o que eu leio. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 30 de maio de 2017

Mandem-me para Mercúrio, mas tirem-me deste mundo!

Macabro as notícias que se ouvem e que se lêem. Desta vez uma idosa que estava desaparecida desde quinta-feira passada foi achada congelada dentro de uma arca.
Parece que foi um assaltada, tendo sido roubado 15 mil euros...(aqui abro os olhos de admiração por ter tanto dinheiro em casa), assassinada e colocada dentro da arca da casa onde residia.
Julgam ser um acto de vingança.

Pelo amor da Santíssima Trindade, quando é que estes actos de malvadez vão acabar? Nunca se viu tantos. E antes que me digam "sempre houve", é verdade sempre houve, mas no presente são mais rebuscados e mais atrozes.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

A vida é para ser vivida e não tirada

Foi a sepultar a jovem vítima de violência por parte do antigo namorado. Ela advogada, ele personal trainer, portanto, pessoas com formação académica. Tinham já posto termo à relação, mas ele não aceitou.
É difícil entender ou compreender que, alguém de quem se gostou, possa ter um comportamento tão obsessivo/compulsivo. Como pode uma pessoa munir-se de uma faca, sair de casa às quatro da manhã para matar alguém que um dia foi-lhe chegado?
Ela foi apanhada de surpresa por ele que lhe desferiu umas facadas e espalhou o sangue pela casa. Macabro!
A violência doméstica não tem idade nem classe social. A violência está entre nós, está num momento em que o cérebro deixou de comandar os movimentos, trazendo ao de cima o lado mais negro de uma pessoa.

sexta-feira, 3 de março de 2017

E, agora, ninguém fala... Ninguém diz nada...

É o terceiro caso de bebés retirados à mãe no primeiro mês de vida isto porque a Segurança Social entende que não há condições para a mãe ficar com o filho e a criança é entregue para adopção. É que nem passa por famílias de acolhimento.
Não sei se se lembram da excelente reportagem sobre a Segurança Social inglesa que retirava os filhos das mães quando havia matéria para análise. Eram mães portuguesas, mas também retiram às filhas da terra.
Lembro-me da revolta popular nas redes sociais sociais e o apoio dado pelo governo português e pelos advogados a estes casos.
Eu pergunto: e agora, que a segurança social portuguesa que faz exactamente o mesmo? Ninguém diz nada?
Onde estão os mesmos que apontaram o dedo e criticaram o sistema inglês?

domingo, 26 de fevereiro de 2017

E o que dizer àqueles que açambarcam o diário?

Que os outros esperam...E desesperam?
Costumo ler o diário, tomar a bica (carregar o telemóvel, beber meio litro de água, lavar as mãos, ir à casa de banho e puxar água, mentira, estou a caçoar, não lavo as mãos, nem puxo água)...na padaria perto de casa. Mas o que gosto é daqueles açambarcadores que agarram no diário da casa, colocam os óculos e ao mesmo tempo atendem chamadas do telemóvel, falam com a digníssima esposa, comem uma sandes de fiambre e queijo e não passam da primeira folha.
E os outros que querem ler que montem no cavalo branco de Napoleão e vão pá guerra dos Cem anos.  Não esperem, pois desesperam.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Como vai este mundo. Homem prevenido vale por muitos

Um português foi detido por tentar degolar um espanhol com um serrote numa discussão de trânsito.

Ora um dia normal de ida ao supermercado eis que um carrinho de compras atrapalha a passagem do português e vai daí umas bujardas em português umas respostas em espanhol o português - homem prevenido vale por dois e se fôr português vale por um batalhão - vai ao porta-bagagem que, neste momento transportava as compras (que estavam a descongelar, caramba, e não podia esperar mais) e...um serrote.
De serrote em punho qual mestre de kung-fu dos nossos dias vai direito ao pescoço do espanhol. Calhou que a mulher (do espanhol)  meteu-se a meio, ficando ferida que o português, homem de resolução e ideias fixas não olhou a meios e a quem se meteu ao meio.
Novamente nas bocas do mundo!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Mas tomar as dores alheias por suas é complicado

Li algo que até me fez gargalhar. E a brotoeja saltar.

Alguém trata os filhos, carinhosamente por "bichinhos" e recebeu uma mensagem de outro alguém a chamá-la de estúpida, que não tem cabimento chamar os filhos por bichinhos que é uma desaforo, que demonstra falta de ideias, que ofende os bichos... isto, que mais isto mais aquele outro....
Quer dizer, gente linda e bela, por este andar qualquer dia recebo uma mensagem da Comunidade Independente das Pulgas Anónimas ou da Associação Nacional Pulgarense a dizer que não posso usar este termo quando me refiro às minhas Pulgas, ou melhor dizendo - aos meus netos.
Há cada uma!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

"Pais helicóptero", já leram? Ide a correr ler...

Excelente trabalho do psicólogo Javier Urra, autor de livros tais como: "O pequeno ditador". Deixo alguns excertos só para adoçar a mente.


Aqui nos nossos países....
Tão mas tão real! Meninos e menimas que crescem sem saber o valor da palavra "não". Pais que compensam a falta de tempo com a falta de autoridade e deixam as crianças tomar as rédeas do seu crescimento.
Infelizmente pode faltar uma palmada mas sobra falta de empenho.
Como diz Javier "querê-la e amá-la não é dizer sim a tudo".

Na Finlândia é assim em Portugal é assado

Estou de total acordo com todos os itens da notícia. Melhor que ninguém sei o quanto as crianças passam tempo demais na escola, por vezes dez horas. Mas não temos bases políticas para tomar estas experiências no nosso país. Teríamos de renascer.

E depois, nem sempre há uma avó disponível para ficar com o restante tempo porque, infelizmente, ainda há avós no activo.
Mas sim, em Portugal, hoje em dia há crianças que permanecem na escola desde a oito até às sete; é o pão nosso de cada dia por variadas razões. E ainda bem que podem ficar onde há pessoal qualificado para olhar por eles.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Farinha para hóstias?! Ai que mentiroso!

Há cada uma!
Senhor padre olhe que mentir é pecado e ainda vai parar ao inferno.
Senhor padre, ora diga lá: dez quilos de farinha, perdão cocaína dá para quantas hóstias, perdão rolinhos?
Já agora uma dúvida m'atormenta: era para consumo próprio ou para vender? Só Deus sabe! É o senhor padre também.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Quem se lembra do caso "Maddie"?


Dor... Dinheiro...
Para colmatar a dor fazem relatos e por isso recebem somas avultadas? A dor é sofrida no aconchego do coração. Nunca me convenceram da sua inocência.
Aproveitam a morte de um filho para receberem dinheiro.
Oportunistas, só demonstram que são capazes de matar.
Podia aqui deixar uma frase bem brejeira do nosso vocabulário português que começa por "p.......e acaba em ariu".

(Deus não dorme e observa-nos. Se não forem castigados nesta vida alguém que se encarregue na outra. Se há vida para além desta...)

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Eu sou mais cachos e pencas delas...

Eu acrescento outra função da banana: prevenir cãibras.
Daqui para a frente é assim:
Está ansiosa? Coma uma banana.
Enxaqueca? Banana é a solução.
Está com sintomas de anemia? Mastigue e engule uma banana.
Vai fazer exercício físico e não quer ter cãibras? Coma uma banana e comprove o resultado.
Por isto, meus e minhas queridas(os) comam muita banana. Mas cuidado, que ela faz engordar....E depois não me venham reclamar....Eu avisei...
É que engorda mesmo!

domingo, 29 de janeiro de 2017

Que notícia mais triste

Em Madagáscar, noivos e convidados que se dirigiam para a festa de casamento morreram quando o autocarro em que seguiam se despistou.
Que tristeza! Um momento que devia ser de alegria transforma-se em dor e mágoa.
Nem consigo comentar esta notícia de tão absurda que é!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

É com muita vaidade que anuncio que...

...O meu rural é um destino popular.
Alô gran-canários e esta que tal? Fiquem lá com as praias de areia amarela, quilos e quilos de areia a perder de vista, as dunas e os dragoeiros  que nós com o nosso basalto e areia preta entrámos a matar logo para quarto lugar. Não temos praias de areia amarela mas temos floresta, levadas, montanhas...
Obrigada a quem nos visita. Voltem sempre.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Da Rússia com amor


Desenganem-se aqueles e aquelas que ao ler o título julgavam que eu ia falar do filme: "From Rússia with love"
Não. Não me refiro a um filme...
Trata-se de Justiça. A Rússia prepara-se para descriminalizar violência doméstica se esta acontecer uma vez por ano no seio da família.

Ora bem, vamos por partes: maridos, mulheres, filhos, avós e netos podem aquecer o pêlo (sim que por lá é frio, caramba), à família uma vez por ano, se for duas já dá cadeia. Até arrancar os dentes, desde que não vá para o hospital (faça o tratamento em casa, ora!).
Tanta coisa por causa de umas chapadas entre marido e mulher, uns puxões de orelha e castiguinhos de dormir ao relento na neve aos filhos e uns abanões ao pai e mãe. Até mesmo um neto lindo de sua avó dar uma martelada nos dedos gelados é violência? Nada disso. É para aquecer os dedos! É carinho, é amor é acima de tudo respeito.
Que mundo! Num país onde a cada 40 minutos morre uma mulher vítima de violência doméstica é um absurdo. Uma cultura onde o machismo faz parte da tradição.
Vamos à notícia...

"De acordo com a nova legislação, que tem vindo a ser debatida no parlamento russo, bater num filho, mulher ou avô - provocando-lhe hematomas e arranhões - deixa de ser crime punível com prisão, desde que o agressor não repita o ataque, e ao mesmo familiar, no prazo de um ano.
"Temos de diferenciar claramente as relações familiares dos casos de reincidência". 

Os deputados russos aprovaram esta quarta-feira, em segunda leitura, a nova legislação. A partir dessa data, as agressões ocasionais contra familiares na Rússia apenas incorrerão em responsabilidade administrativa, desde que não ocorram mais do que uma vez por ano.

"A descarada ingerência na família" pela justiça "é intolerável", considerou Vladimir Putin recentemente, ao responder a um ativista que o questionou sobre a conveniência de acabar com uma lei que permite "prender um pai só porque deu umas palmadas num filho porque o mereceu".
No entanto, o artigo 116 do Código Penal - que o governo russo quer agora despenalizar - não menciona bofetadas ou palmadas, mas sim "tareias", que podem deixar lesões como hematomas, arranhões e feridas superficiais.

E agora que faço? Deve ter perguntado ela ao ver o TGV a andar!

Uma jovem de 18 anos, ementes o combóio parou na estação de Lê Mans, saiu para dar atenção ao vício, deixando o seu bebé de seis meses na carruagem. Ora, o comboio não se compadece de quem por um instante vai "ali e já volta" e segue viagem. Quem se preocupou foram mesmo as restantes pessoas que estavam na carruagem e ainda puxaram o alarme, mas o TVG não podia voltar atrás nem parar.

Resta-me pensar que esta jovem deve ter apanhado um pequeno susto, ou seria grande susto!?, e daqui para a frente vai pensar duas vezes antes de puxar um cigarro e fumar deixando o seu rebento ao Deus dará. Ou na próxima vai a mãe e fica o pai sem vez de irem os dois. Mas que querem?, sabe bem uma passa a dois!
Este mundo de cão!

Se não chega o que escrevi leiam tudo, entrando aqui.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Ai sim?! Ai pois é!



Ai pois, agora chupa essa manga, melhor dizendo, atão vocês autarcas da minha vida queriam roubar o erário público e era para manter segredo?
Mas vocês, autarcas do meu mundo, pensavam que essas voltas que iam dar...quando faziam as viagens à conta dos munícipes, usando não o da algibeira mas sim o do cofre...que ninguém ia saber?
Otários! Agora andam com as calças na mão a correr no tribunal!

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Quem não lhes apertasse o pescoço!

Ora bem, há notícias que me transcendem, esta é uma delas.
Só desejo que as esposas destes senhores juízes leiam a notícia e aprendam e, na próxima lhes apertem o pescoço. Não uma mas várias vezes sem deixar marcas...Lentamente...Sem afectar a sua dignidade...A ver se eles na próxima entendam o papel de vítima!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Crianças transgénero

"Às vezes a ecografia mente: não são os órgãos genitais a definir o género, é o cérebro."
Sabemos é que há cada vez mais provas de que o género não é determinado pelos órgãos genitais (pelo que está entre as pernas), mas sim pelo cérebro e pela mente (ou seja, pelo que está entre os ouvidos). Na maioria das pessoas há uma concordância entre os dois. Em outras, essa ligação não faz sentido.

Transgénero é o termo comum, mas disforia de género é o termo técnico usado para definir a incompatibilidade entre o género com que nascemos e o género com que nos identificamos.

Eu costumo ver a série "I am Jazz" que acompanha a transição de um rapaz para o género feminino. Jennings foi diagnosticada com Transtorno de Identificação de Género Infantil, fazendo dela uma das mais jovens identificada como transgénero. Tem apenas 16 anos.

Eu, mulher de meia idade sou de opinião que  se mude de sexo se assim o desejar, mas entendo a transição ser precoce para crianças em crescimento. 

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Dia de folga

As Minhas Pulgas deram-me um dia de folga e aproveitei para as trocas de Natal.
Não sou apologia de trocar o que se oferece, costumo ficar com a prenda, mas quando já tenho, claro que troco, obviamente.

"Para a minha irmã", livro de leitura obrigatória para quem, como eu, adora um bom enredo. Mas já o tinha. Oferecido por alguém a quem muito estimo e que já não se encontra entre nós.